O graffiti nasceu nas ruas como forma de expressão dos menos favorecidos e para revelar a realidade das ruas. É uma Arte transgressora que grita nas paredes da cidade os incômodos de uma geração.
Mas desta vez, não foi nas ruas que os alunos se depararam com essa Arte. Dentro do Centro Cultural Banco do Brasil, aconteceu o encontro deles com Jean-Michel Basquiat e sua obra.
Na década de 70, quando os primeiros movimentos oficiais do graffiti começaram a aparecer pelo mundo, era impensável imaginar que apreciaríamos esse tipo de Arte em um museu. No entanto, grafitar se transformou num importante veículo de comunicação urbano. A visitação e o reencontro com o graffiti ampliaram o olhar dos visitantes do CEB para o fato de que, de alguma maneira, a existência de outras vozes, de outros sujeitos históricos e ativos que participam da cidade, podem ser fortes o bastante para modificar um conceito e uma geração.

Confira fotos aqui e em nosso perfil no Facebook!