G4 A – Saída ao Museu Itinerante

Nossa saída ao Museu Itinerante: mistérios do Antigo Egito e Terra Santa.

Nós saímos no dia 12 de maio para o museu. A gente viu as coisas antigas do mistério da pirâmide. As múmias, os gatos que eram deuses, esculturas, sarcófago, lamparinas, estátuas pequenas de esfinges.Tinha réplicas e peças originais.

Descobrimos que não existiam armadilhas de verdade como nos filmes e nos desenhos. Eram lendas. Isto nós não sabíamos. Pensávamos que existiam armadilhas de verdade.

Samer, o moço que nos mostrou a exposição (monitor) escreveu nossos nomes em letras egípcias, que eram chamadas de ieróglifos. Samer disse que estudou muito, junto com o pai dele que é o dono de todas as peças da exposição e também disse que os livros são super parceiros dele.

Os egípcios puxavam o cérebro das pessoas pelo nariz para mumificá-las, com um ganchinho bem fininho. Aquele negócio usado para fazer o asfalto, o betume, era usado para cobrir as pessoas que virariam múmias. Para mumificar, as colocavam no sol e com sal grosso por três meses. Ficavam como carne seca. Também colocavam algodão nos olhos delas.

Tinha três múmias: duas grandes e uma pequena. Quando as pessoas viravam múmias ficavam com as joias. tem histórias que dizem que quando as múmias viviam de novo, precisavam delas.

O escaravelho é um bicho que bota os ovos dentro do coco de alguns animais, que é o esterco. Ele ficava junto com as múmias, do lado do sarcófago.

Lá tinha a cleópatra tinha seu retrato e o faraó também. Tinha princesas, filhas de faraó e cleópatra.

Texto coletivo