Como escolher o primeiro livro para seu filho?

29 de agosto de 2023 | Educação Infantil, Fundamental 1, Fundamental 2

  

–   Você tem sugestões de livros para eu comprar para o meu filho? 

–   Mas, quais são os interesses dele? O que você se sentiria bem ao ler para ele? 

Desde cedo, as crianças leem o mundo: seu quarto, a escola, a família, etc. Então, um livro que se relacione com essas leituras ou descobertas pode ser interessante. Um livro que converse com o mundo de imaginação da criança também pode ser uma boa escolha. 

Quando o leitor é você 

O primeiro livro da criança, provavelmente será lido para ela pela família, que deve se divertir interpretando a história, rindo, chorando, se assustando, sendo também um pouco criança para quem estiver lendo. Se você é mãe ou pai, aproveite para mostrar que você gosta de livros, de ler e aprender. Para isso, é importante escolher livros de que goste. Esse sentimento vai transparecer para o seu ouvinte. Além disso, esse momento da leitura é duplamente feliz para a criança: a descoberta de um objeto que pode trazer tanto prazer ao mesmo tempo em que usufrui da companhia carinhosa e atenta de quem já gosta tanto.  

O livro como objeto 

Mesmo em tempos de digitalização crescente de conteúdos, o livro ainda deve ser visto como um objeto prazeroso de manipular. Daí, prestar a atenção ao material de que é feito, seu formato e cores. Os livros de tecido ou cartonados (de páginas mais duras), com diversas cores e formato mais adequado às habilidades manuais da criança, por exemplo. Mas não se limite a isso, mesmo para crianças bem pequenas, devemos priorizar o livro como portador de histórias que ampliem suas emoções e percepções, ou que expliquem o mundo ao seu redor. 

Filhos leitores 

A partir dos seis anos, além de você continuar lendo para seus filhos, é importante promover que eles próprios leiam seus livros. Então, especial atenção por temas que os interessem ou que possam despertar curiosidades a partir do repertório que eles já conhecem, como a escola, a família, animais ou conflitos próprios de cada idade. 

Algumas dicas 

– 6 a 8 anos: textos mais curtos acompanhados de ilustrações. Temas ligados às vivências cotidianas, ou de assuntos que os interessem, como animais, por exemplo; 

– 8 a 11 anos: ainda textos curtos, sem dependência de ilustrações. Contos fantásticos e humorísticos já podem ser incluídos; 

– 11 a 13 anos: é a hora de textos mais extensos, sempre estimulando a leitura por meio de temas de interesse. Ouça seu filho. Em que ele está interessado? Aventuras, detetives, ficção científica e histórias de amor costumam ir bem nessa fase. 

– 13 a 15 anos: cada vez é mais importante ouvir seus filhos, conhecer seus interesses. Nesta fase, as aventuras mais complexas, narrativas de viagens e biografias, além de histórias de amor e conflitos típicos da idade costumam ser atraentes. 

Em resumo: 

– Seja um parceiro de seus filhos, seja como leitor quando eles forem mais novos, seja para compartilhar suas próprias leituras; 

– Mostre a eles que você gosta de ler (livros em particular); 

– Não importa a idade, busque conhecer os interesses de seus filhos para promover novas leituras e novos autores. 

O Post não tem posts relacionados no momento

Receba notícias sobre a CEB. Inscreva-se

Entre em contato pelo WhatsAppÍcone do Whatsapp
Entre em contato pelo WhatsApp
Ícone do Whatsapp