Como conciliar trabalho e família?

25 de novembro de 2022 | Berçário, Educação Infantil, Fundamental 1, Fundamental 2

“A vida é uns deveres que nós trouxemos para fazer em casa. 

Quando se vê, já são 6 horas: há tempo… 

Quando se vê, já é 6ª feira… 

Quando se vê, passaram 60 anos! 

Agora é tarde demais para ser reprovado…” 

Trecho do poema “Seiscentos e sessenta e seis” (O Tempo), de Mário Quintana 

 

Conciliar trabalho e família é um dos temas mais desafiadores para pais e mães que têm suas vidas cada vez mais ocupadas por tarefas profissionais, mas a tentativa vale cada esforço. O tempo passa voando e, como todos os pais e mães sabem, os filhos crescem muito rápido!  

São muitos os estímulos e demandas e, entre pensar em hoje ou nos ganhos futuros, geralmente optamos por atender as demandas mais urgentes, quase sempre relacionadas ao trabalho. Por esse motivo, é necessário fazermos constantemente um balanço entre perdas e ganhos relacionados à nossa dedicação.  

Mesmo em uma visão com foco na carreira profissional, a própria definição de sucesso passa por uma vida mais balanceada. A falta de equilíbrio também afeta a qualidade do trabalho, além da própria saúde. Muitas empresas já perceberam isso e, mesmo timidamente, já têm programas para promover uma vida mais equilibrada para seus colaboradores.  

 

Avaliação constante 

A avaliação do tempo dedicado é fundamental, e deve ser feita sempre. Só assim podemos ajustar nossa rotina e equilibrar nossa dedicação entre trabalho e família.  

É certo que esse ponto de equilíbrio é diferente para cada um. Você pode achar que já conseguiu isso, jantando todos os dias com a família, ou levando seus filhos para a escola, por exemplo. O mais importante é buscar esse ponto com consciência e futuramente não culpar as circunstâncias por uma escolha que é somente de quem a faz. Não é fácil, mas essa é uma tarefa que vale o esforço. 

 

Qualidade e quantidade 

Outro desafio é o cultivo da presença plena: estando 100% onde estiver, com atenção total àqueles que estão conosco. Essa é uma atitude que muitos definem como qualidade de tempo dedicado, defendendo que, nas relações humanas, qualidade é mais importante do que quantidade. Isso pode até fazer sentido, mas quantidade também importa. E muito. Quantas vezes as coisas mais importantes surgem nos momentos relaxados, de ócio, quando “jogamos conversa fora”?  

 

Priorizar 

Muitos consultores de investimento dizem que, para se acumular poupança, você deve ser rigoroso em separar do salário um dinheiro para investir e somente gastar o que sobrar, nunca o contrário. Ao planejar sua dedicação à família, essa reflexão pode ser uma referência para o seu planejamento.  

Como tempo é um bem limitado, para isso acontecer, você deve aprender a dizer não a solicitações sem sentido ou contraproducentes no trabalho e a convites movidos pelas chamadas “obrigações sociais”, que muitas vezes são somente perda de tempo.  

O importante é que ainda não é “tarde demais para ser reprovado”. 

 

Em resumo 

·      Quando percebermos que negligenciamos o tempo dedicado à família, pode ser tarde demais.

·      É fundamental avaliarmos constantemente se estamos investindo bem nosso tempo. 

·      Não basta qualidade. É necessário quantidade. 

·      É preciso aprender a dizer não. 

Receba notícias sobre a CEB. Inscreva-se

Entre em contato pelo WhatsAppÍcone do Whatsapp
Entre em contato pelo WhatsApp
Ícone do Whatsapp